LogoVermelhoWeb.png

Com um toque indígena, o Peró traz para dentro da

Pousada do Príncipe, uma experiência gastronômica de raiz. 

 

Uma fusão entre os ingredientes indígenas tradicionais locais, como a mandioca, peixes frescos,

frutos do mar pescados na baía de Paraty, côco, banana e milho e a Tradicional Culinária Brasileira,

com um toque moderno.

Tem como principal objetivo, servir os ingredientes mais frescos numa experiência que combine sabor, 

invenção e tradição, provocação e memória afetiva.

Essa é a filosofia da cozinha do Peró, amparada ainda na busca constante por simplicidade, 

sazonalidade e respeito ao pequeno produtor rural.

Ativo 7-100.jpg
Ativo 10-100.jpg
Ativo 11-100.jpg
Ativo 9-100.jpg
Ativo 12-100.jpg
Ativo 4-100.jpg

ENTRADAS

Tartar

Tartar de Robalo com vinagrete de banana e chips de raízes R$ 40

Salada Pancs

Salada de pancs (plantas alimentícias não-convencionais), folhas verdes, tomates assados e molho de maracujá R$22

Palmito na casca

Palmito na casca c/ azeite de ervas e camarão salteado R$58

Bolinho de Siri

Bolinho de Siri com maionese de limão R$26

PRINCIPAIS

Moquequinha de Frutos do Mar

Moquequinha de Frutos do Mar, com arroz de côco e farofa de urucum R$ 62

Camarões Salteados

Camarões salteados com purée de mandioca e molho de maracujá com pimenta baniwa R$ 62

Medalhão de Mignon com Quirera de Milho

Medalhão de Mignon com quirera de milho e molho de jabuticaba R$60

Robalo em crosta de Barú

Robalo em crosta de barú, farofa de farinha de mandioca com camarão e emulsão de tucupi R$64

Spaghetti de Palmito

Spaghetti de Palmito com molho de camarão no perfume de cachaça R$56

SOBREMESAS

Cuscuz de Tapioca

Cuscuz de Tapioca com Baba de moça e lascas de côco tostado R$ 30

Bolo de Amendoim

Bolo de amendoim com creme inglês de Fava Tonka (a baunilha brasileira) e paçoca R$ 32

Banana Flambada na Cachaça da terra

Banana flambada na cachaça da terra Gabriela, com sorvete de açaí e castanha de cajú R$28

​BEBIDAS

SOFTS

ÁGUA S/ GÁS R$5
ÁGUA C/ GÁS R$5,5
REFRIGERANTE R$7
SUCO NATURAL R$9
CAFÉ EXPRESSO R$5
CHÁ R$5

 

CERVEJAS

HEINEKEN LT R$10 
AMSTEL LT R$10
PRAYA LT R$12

PRAYA 600ML R$20
PARATY 500ML R$30 

DRINKS TRADICIONAIS

CAIPIRINHA R$18 
CAIPVODKA NACIONAL R$18 
CAIPVODKA ABSOLUT R$24
SAQUERINHA R$20
MOJITO R$20
SEX ON THE BEACH R$22
CUBA LIBRE R$20

ESPIRITUOSOS

GIN TÔNICA BORBOLETA 
GIN, XAROPE DE FLOR  DE FEIJÃO BORBOLETA E ÁGUA TÔNICA
R$28

GIN TÔNICA PIMENTA
GIN, PIMENTA ROSA, ALECRIM, ANIZ ESTRELADO E ÁGUA TÔNICA
R$24

GIN TÔNICA HIBISCO 
GIN, XAROPE DE FLOR DE HIBISCO, LIMÃO E ÁGUA TÔNICA
R$26

APEROL SPRITZ
APEROL, ESPUMANTE, ÁGUA C/ GÁS E LARANJA
R$25

CITRUS MARTINI
VODKA, LIMÃO, APEROL 
R$24

CAIPIRA REAL 
MANGA, HORTELÃ, GENGIBRE, AÇÚCAR DEMERARA E CACHAÇA R$22

AGUARDENTEA
CACHAÇA ENVELHECIDA, CHÁ MATE, LIMÃO E MARACUJÁ
R$24

mágico
aromático
adocicado
clássico
refrescante
exótico
inspiração indígena

NOSSOS INGREDIENTES

Milho Criolo
Tucupi
Mandioca

Milho crioulo é todo o milho que não foi apropriado pela indústria, ou ainda, variedades tradicionais que passam de geração em geração pelas mãos dos agricultores.
Nossa canjiquinha vem de Minas Gerais, pelas mãos do Lucas Sousa, responsável pelo @projetovistaalegre, que se dedica a ampliar o cultivo da biodiversidade e do resgate e multiplicação de sementes crioulas, especialmente as de milho.

Tucupi é o sumo amarelo extraído da raiz da mandioca brava, quando descascada, ralada e espremida (tradicionalmente usando-se um tipiti). Depois de extraído, o caldo "descansa" para que o amido (goma) se separe do líquido (tucupi). Inicialmente venenoso devido à presença do ácido cianídrico, o líquido é cozido (processo que elimina o veneno) e fermentado de 3 a 5 dias para, então, ser usado na culinária.

Manihot esculenta, conhecida como mandioca, macaxeira, aipim, castelinha, uaipi, mandioca-doce, mandioca-mansa, maniva, maniveira, pão-de-pobre,mandioca-brava e mandioca-amarga, é o alimento do futuro. Esta planta é nativa da América do Sul, e muito importante na alimentação indígena.

CUMARÚ OU FAVA TONKA
PALMITO PUPUNHA
BARÚ

O fruto nasce da flor de uma árvore tropical que cresce em toda a região norte da América do Sul - incluindo os Estados brasileiros do Amazonas e do Pará. Moídas e salpicadas sobre sobremesas, ou misturadas a caldas, suas sementes têm um sabor tão especial que ganharam o apelido de "o mais delicioso ingrediente de que você nunca ouviu falar".
Notas herbais se misturam com baunilha, alcaçuz, caramelo e cravo.

 

O uso do miolo da palmeira na alimentação é antigo. Só para exemplificar, na carta que Pero Vaz de Caminha escreveu a respeito da chegada da esquadra de Cabral às terras brasileiras (ainda sem nome oficial na época), existe um grande destaque ao alimento.

“Andamos por aí vendo a ribeira, a qual é de muita água e muito boa. Ao longo dela há muitas palmas, não muito altas, em que há muito bons palmitos. Colhemos e comemos deles muitos.”

O baru, é uma árvore da família das leguminosas (Fabaceae), nativa do Brasil, porém não endêmica, e lembra demais o amendoim. Nomes populares: coco-pereba, coco-barata, baru, barujo, bugueiro, cambaru, castanha-de-bugre, castanha-de-burro, coco-feijão, cumari, cumaru, cumarurana, cumbaru, feijão-baru, feijão-coco, imburana-brava e pau-cumaru.

AMENDOIM

Amendoí, amendoís, mandobi, mandubi, mendubi, menduí,mindubim e minui,o amendoim é uma planta originária da América do Sul. É uma planta originária do planalto brasileiro-paraguaio.
Era cultivado pelos índios bem antes da chegada dos portugueses, ao lado de culturas como a mandioca, milho, batata, cará e taioba.

URUCUM

O urucum é um fruto da árvore urucuzeiro, é usado pelos índios como remédio e como corante. A planta, que em tupi significa “vermelho”, protege contra radiação ultravioleta, e tem poder cicatrizante.
Envolto por uma camada coberta por espinhos, guarda as preciosas sementes, de onde é extraído um corante, usado na indústria têxtil para tingir tecidos e na culinária para realçar a cor dos alimentos.

PANCS

Plantas Alimentícias Não Convencionais são plantas com potencial alimentício e desenvolvimento espontâneo, porém não são consumidas em larga escala ou são utilizadas apenas em determinada região. Um exemplo é a Vitória-régia, que é uma planta que contém um fruto alimentício, mas poucas pessoas sabem disso. Aqui no Peró, usamos azedinha (aquele trevo mesmo), tropoeiraba-roxa, vinagreira, capuchinha, ora-pro-nobis, além de flores como o hibísco, colônia, rosa e maria gorda.

DELICIE-SE COM UM PEDACINHO DO NOSSO BRASIL!!!